Pular para o conteúdo principal

TRIANGLE (2009), de Christopher Smith

Estava sentindo que precisava experimentar mais filmes novos. Não apenas assistir, algo que tenho feito pouquíssimo, mas escrever também sobre algumas coisas que vi e acabei deixando passar em branco aqui no blog. A CENTOPÉIA HUMANA, por exemplo, assisti há meses e até agora nada, mas vou tentar escrever algo sobre ele durante a semana. Por enquanto, vamos ficar com este TRIANGLE, que também já faz um bom tempinho que eu vi e até me surpreendeu bastante.

Não que seja um filme excelente, mas não esperava muita coisa. A trama rocambolesca que aborda viagens no tempo poderia dar tudo errado em qualquer momento, mas o diretor Christopher Smith consegue manter o nível, a complexidade (sem desandar em explicações estúpidas) e até a minha atenção do início ao fim. Consegue realmente sustentar a idéia do enredo, por mais frágil que seja, mesmo sem atingir resultados geniais, com atores satisfatórios, efeitos especiais sem frescuras e bom visual.

Quanto menos o espectador souber da trama, melhor será a apreciação. Uma coisa certa é que uma conferida à obra não será perda de tempo. Pra quem não viu ainda LOS CRONOCRIMENES, filme espanhol de Nacho Vigalondo realizado em 2007, recomendo uma sessão dupla com TRIANGLE! Por que? Vai entender quando assistir aos dois filmes.

O diretor Christopher Smith tem em seu currículo o terror PLATAFORMA DO MEDO, aka CREEP, que tem seus admiradores, eu não sou muito chegado, e SEVERANCE (2006), muito elogiado, mas não vi. TRIANGLE é seu terceiro trabalho, mas não foi o último. BLACK DEATH, uma aventura medieval com Sean Bean, já teve lançamentos em festivais no exterior, mas não faço a menor idéia do que esperar deste filme. De qualquer maneira, vou assistir e depois deixo aqui as minhas impressões. Smith ainda é neófito na direção, mas não deixa de ser promissor.

Comentários

  1. Vi A Serbian Film ontém e...bom...

    ResponderExcluir
  2. Melissa George. Sou um bocado chegado nela, devo dizer. Se não é muito ruim posso dar uma chance, sim.

    ResponderExcluir
  3. Leandro Caraça09/08/2010 19:24

    "A Serbian Film" parece ser tão barra-pesada que depois dele, o sujeito assistiria "Vida e Morte de uma Gangue Pornô" para dar uma relaxada.

    ResponderExcluir
  4. Leandro, sem querer dar spolers, mas só possodizer que nunca na vida eu tinha imaginado, nem de sacanagem em uma bebedeira com amigos, uma cena que o cara mata outro com o próprio pau...

    ResponderExcluir
  5. Ouvi falar há pouco tempo desse Serbian Movie mas tenho muita curiosidade. Atão se há pénis como arma ainda mais.
    ABraço,

    ResponderExcluir
  6. Também tomei conhecimento há pouco tempo desse aí... mas não imaginava que era tão barra pesada assim. Preciso ver!!!

    ResponderExcluir
  7. Bem depois do giallo The Sister of Ursula (1978), em que o assassino misterioso usa um consolo para matar suas vítimas, tudo é válido!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …