13.7.11

THE HARD CORPS (2006)


aka FORÇA DE PROTEÇÃO
direção: Shledon Lettich
roteiro: Sheldon Lettich, George Saunders

Este aqui é um daqueles produtos da fase negra do Van Damme, quando o sujeito aceitava fazer qualquer porcaria que vinha pela frente pra pegar um cheque e pagar as contas no fim do mês. Não tenho certeza se nesta época ele ainda estava envolvido com drogas… se bem que, em se tratando de cinema, estava envolvido sim, já que realizou esta droga aqui.

O baixinho belga é Philip Sauvage, um ex-soldado de elite das tropas americanas no Oriente Médio que acaba virando guarda costas de um famoso boxeador/homem de negócios, Wayne Barclay, o qual possui um velho inimigo, um ex-rapper mafioso que saiu da cadeia e planeja vingança.


Para Van Damme, viver um personagem traumatizado pós-guerra e que perdeu totalmente suas emoções deve ser tão fácil quanto interpretar o Dr. Spock. Em materia de emoções nulas, Van Damme é o cara! Mas aceitar o trabalho de guarda costa e treinar uma equipe para cuidar da situação, leva o nosso angustiado protagonista a reconectar-se com alguns sentimentos adormecidos, especialmente quando se trata da irmã de Wayne, Tamara, na pele de Vivica A. Fox. Fica até bizarro algumas cenas pintando um clima entre aquela morena exuberante com o baixinho...

Mas o problema mesmo é que THE HARD CORPS fica estranho quando você percebe que já passou mais de uma hora de duração e só tivemos uma ceninha de ação e das bem vagabundas, muito mal dirigida e sem qualquer graça. O filme se concentra mais no drama do protagonista e sua relação com os outros personagens, além de perder muito do nosso precioso tempo com outras figuras que não tem o mínimo interesse, com exceção dos vilões, que estão involuntariamente engraçados! Van Damme até que não está mal, mas com um roteiro deste calibre, fica difícil…


Outro ponto decepcionante é que THE HARD CORPS é a reunião do ator com Sheldon Lettich, diretor que fez alguns filmes bem bacanas do belga no início dos anos 90, como LEÃO BRANCO e DUPLO IMPACTO, e nem isso foi capaz de dar ao filme alguma dignidade. Percebe-se claramente que se trata de uma produção de baixíssimo orçamento, mas cenas de luta e tiroteios extremamente mal filmadas não depende tanto de grana e sim de talento, algo que Lettich parece ter esquecido em casa. O filme ainda tenta ter um clima e visual de “hip hop black gangster movie” e falha feio nesse sentido. Infelizmente, é um exemplar do Van Damme que eu não recomendo…

4 comentários:

  1. Vai rolar uma cinebiografia completa do Van Damme? Tomara que sim...

    ResponderExcluir
  2. Onde, aqui no Dementia? hehe
    Ah, com certeza vou escrever sobre todos os filmes dele... se vai ser em sequencia ou pingado, igual este aqui, aí já não sei. :D

    ResponderExcluir
  3. kra, eu adoraria um especial com os filmes do anão belga, de uns tempos pra cá fui acometido por uma mórbida nostalgia pelos filmes do cara!

    ResponderExcluir
  4. Ah, uma hora dessas eu faço sim! Estou no meio do especial Castellari, que aliás preciso atualizar, Mas quem sabe naõ é o próximo?! :)

    ResponderExcluir

MUDANÇA DE CASA

Depois de um feedback por aqui e na página do Dementia¹³ no facebook , resolvi tomar mesmo a decisão de fechar as portas por aqui e me muda...