Pular para o conteúdo principal

MIDNIGHT MOVIE MASSACRE (1988)

Ok, justamente quando pedi aos amigos leitores dicas e sugestões de filmes para o mês de horror de outubro, o tempo fechou por aqui com o trabalho e fiquei mais apertado que nó de soga em dia de chuva… com exceção deste MIDNIGHT MOVIE MASSACRE, não consegui parar para ver ou rever as outras recomendações ainda, mas vou atendendo aos pedidos na medida do possível. Então vamos começar com esta pérola aqui mesmo, também conhecida como ATTACK FROM MARS, uma simples, mas entusiasmada, homenagem aos b movies de horror e ficção científica dos anos 50, com muito humor e gore mal feito, e que não deixa de ser uma celebração àquela época quando ir ao cinema havia outra essência, a qual se perdeu completamente nos dias atuais…

Dirigido pela dupla Laurence Jacobs e Mark Stock, o filme é uma sucessão de situações acontecendo dentro do cinema durante uma sessão de um sci-fi nos anos 50, com uma variedade enorme de estereótipos forçados, sem protagonistas definidos. Temos os nerds (um deles começa a ter visões de uma loira gostosa), o casal beijoqueiro, a gorda comilona de pipoca com o marido magricela, os bad boys, o carinha que só pensa em traçar a namorada, e por aí vai... Todos reunidos em frente à telona.

Ao mesmo tempo, acompanhamos o filme dentro do filme, um ridículo exemplar de ficção científica onde um grupo de pratuleiros das galáxias persegue um cientísta maluco pelos confins do universo até chegar na terra, onde enfrenta robôs feitos de lata velha. A princípio, a produção de MIDNIGHT MOVIE MASSACRE fora iniciada com a idéia de que… er, este filme, dentro do filme, fosse o filme mesmo! Mas se o material filmado a partir disso realmente fosse o produto final, seria um troço extremamente constrangedor e de mal gosto. Felizmente alguém teve a idéia salvadora de transformar o filme em um filme dentro do filme… er… deu pra entender? E pra complementar essa mistura filosoficamente metalinguística, uma espaçonave realmente paira sobre o cinema e um alienígena esfumacento – e com uma cavidade bucal em forma de vagina de idosa – começa a aterrorizar a todos que entram em seu caminho estraçalhando um a um dentro do cinema.

As cenas de gore são engraçadas, quase sempre mostrada em closes, com sangue espirrando nas paredes e objetos, membros decepados feito com material porco de papelaria, mas acabam dando um efeito razoável e sincero, levando em consideração o baixo orçamento. As idéias é que realmente importam, na verdade. A cena em que o menino, chupando um pirulito, entra na sala do gerente do cinema e o vê todo esquartejado é sensacional! E o climax final, o confronto entre o alien com a gorda comilona me fez revirar o estômago… ugh! A mulher realmente come de tudo!

 

MIDNIGHT MOVIE MASSACRE
poderia render algo de qualidade menos duvidosa se tivesse alguns atores reconhecíveis no elenco (temos pequenas participações de Robert Clarke e Ann Robinson), efeitos especiais mais elaborados e a direção de um Joe Dante, por exemplo, que poucos anos mais tarde fez algo parecido, o filmaço MATINEE. Mas é justamente os defeitos especiais, as péssimas atuações, a falta de pretensão e o climão trash por excelência que, visto no devido humor, dão o charme para esta divertida tralha dos anos 80.

Comentários

  1. Me lembrou Demons, de Lamberto Bava, que é bem fodão.

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia esse filme! A premissa me agragou bastante, já ta na lista de downloads.

    ResponderExcluir
  3. "...sangue espirrando nas paredes e objetos, membros decepados feito com material porco de papelaria". Já me convenceu, vou procurar.

    ResponderExcluir
  4. Valeu Ronald pelo post!!
    ótimo filme me lembro muito os filmes do Peter Jackson de começo de carreira!!
    Bagaceiro ao extremo!!

    ResponderExcluir
  5. "...sangue espirrando nas paredes e objetos, membros decepados feito com material porco de papelaria". Já me convenceu, vou procurar. [2]

    Pena que com esse bagulho de sopa, tá muuito dificil arranjar links On ! Não acho em lugar nenhum ! Mas valeu pelo Post !

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …