Pular para o conteúdo principal

A IRMANDADE, aka The Order (2001)

Fui ver qual é a desse Netflix, já que o primeiro mês era gratuito. O acervo deles até agora é ridículo, mas até que a idéia de poder contar com o site pra ver filmes é interessante, economiza tempo e espaço (de armazenamento de filmes baixados). Logo, a primeira busca que fiz foi “Jean-Claude Van Damme”. O resultado mostrou uns cinco filmes e A IRMANDADE era o úncio que nunca havia assistido. Mandei brasa. Eu sempre li críticas ruins a respeito deste aqui, tanto que fui conferir esperando a bomba! E, quem diria, não é que me surpreendi? Longe de ser dos melhores filmes do belga, o filme conseguiu me divertir com uma historinha “sessão da tarde” que mistura artes marciais e aventura estilo INDIANA JONES.

Van Damme interpreta Rudy, um ladrão de artefatos arqueológicos valiosos, que decide ir a Israel tentar encontrar seu pai, um famoso arqueólogo, que desapareceu misteriosamente no país. As investigações de Rudy resultam na descoberta de uma ordem secreta religiosa cujo plano diabólico é achar um tesouro escondido nos subterrâneos de Jerusalém, além de acionar uma bomba com poder sufucuente pra mandar a cidade pelos ares! Imaginem o que o baixinho apronta! Em determinado momento, o personagem de Van Damme se fantasia de judeu ortodoxo, correndo pra todo lado com costeletas encaracoladas, é de rachar o bico! Só isso já valeria o filme…


Ah, mas temos também algumas figuras importantes compondo o elenco. Alguém aí conhece um senhor chamado Charlton Herston? Pois é, podem não acreditar, mas o Bem Hur faz uma participação. Não sei como conseguiram isso, se o cara estava gagá e resolveu aceitar ou se a carreira dele já estava tão no fundo ao ponto de precisar se sujeitar a um filmeco de ação com o Van Damme pra receber um cheque. De qualquer maneira, quem ganha é o público que se diverte com o sujeito pagando mico! Brian Thompson também surge em cena, obviamente fazendo o papel de vilão.


É evidente que A IRMANDADE não deixa de merecer a má fama que tem. Eu mesmo tenho que reconhecer isso. O roteiro é ruim de doer e cria algumas situações totalmente desnecessárias que só servem pra atrapalhar o ritmo, alguns diálogos são extremamente ridículos, sem contar que o protagonista é um piadista bobo, que fica fazendo gracinhas estupidas durante o filme inteiro. Pessoalmente, consegui relevar os problemas e me deixei levar pela trama. Já não esperava muita coisa mesmo… A quantidade de ação e pancadaria, embora não sejam filmadas com a devida classe, se inserem bem à história e fazem o filme valer a pena também.

Só fico meio aborrecido pelo diretor Sheldon Lettich, que realizou algumas obras clássicas do Van Damme, como DUPLO IMPACTO e LEÃO BRANCO. É o segundo filme dele que comento aqui no blog que não está a altura do que fez no início da carreira. THE HARD CORPS foi um desperdício completo, pelo menos A IRMANDADE garantiu a diversão. Mas não é o tipo de filme que recomendo a qualquer um, a não ser que você seja fã ferrenho do Van Damme e por algum motivo ainda não viu. Mas se você não tiver absolutamente NADA para assistir e este filme cair de repente na sua mão, pode funcionar como um bom passatempo descartável.

Comentários

  1. Encontrei o dvd desse filme na Livraria Saraiva por 9,90 e resolvi comprar para conferir.
    Até que achei divertido o filme, me lembrou um pouco os filmes do Jackie Chan, e não é que no final do filme aparece alguns erros de gravação, como nos filmes do Chan.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, achei esse blog por um acaso total, comecei a ler a crítica e não é que ri muito com seus comentários! Adorei a parte do Ben Hur...ahhahha

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

OS BÁRBAROS (The Barbarians, 1987)

Daquela listinha de filmes de fantasia, Sword and Sorcerer, que eu postei outro dia, um dos exemplares que causou mais alvoroço foi OS BARBAROS. Alguns amigos acharam engraçado por eu ter lembrado desse filme que passou milhares de vezes no Cinema em Casa do SBT. E como estamos falando de um trabalho do italiano Ruggero Deodato, nada melhor que ressaltar como era bom ter doze anos e poder conferir às tardes da TV brasileira nos anos 90 um filme com bastante sangue, membros decepados e peitos de fora. Algo impossível para um moleque atualmente, que tem de se contentar com os filmes de animais falantes que empesteiam diariamente a programação… Neste fim de ano, meus votos de um grande pau no c@#$% do politicamente correto.

De todo modo, OS BÁRBAROS é uma porcaria. Fui rever essa semana para escrever para o blog e, putz, acreditem, é a coisa mais ridícula do mundo. Ainda bem que já sou vacinado contra tralhas desse tipo e encontro tantos elementos engraçados que fica impossível não sair…

O IMBATÍVEL (Undisputed, 2002)/O LUTADOR (Undisputed 2: Last Man Standing, 2006)

No útlimo fim de semana procurei outros filmes recentes do Michael Jai White para vê-lo distribuindo porrada em meliantes como em BLOOD AND BONE e BLACK DYNAMITE. Me deparei com UNDISPUTED 2, continuação de um filme dirigido pelo Walter Hill em 2002 e que, por pura negligência da minha parte, ainda não havia assistido. Enfim, foi uma experiência interessante, além de poder ver um ótimo filme de luta estrelado pelo Jai White ainda tirei o atraso com o filme Hill, que é obrigatório para os fãs do sujeito.

Ambos os filmes se passam em prisões e envolvem lutas “profissionais” entre os encarcerados, mas o resultado de cada é bem diferente um do outro. UNDISPUTED é puro Walter Hill! Cinema classudo, sério, focado em personagens bem talhados e com direção extremamente segura. Temos Wesley Snipes na pele de Monroe Hutchen, campeão de boxe de Sweetwater, uma prisão de segurança máxima que promove legalmente lutas entre presos. Ving Rhames é George Iceman Chambers, o campeão mundial dos pesos …

OS IRMÃOS KICKBOXERS, aka BLOOD BROTHERS (1990)

Também conhecido como NO RETREAT, NO SURRENDER 3 em alguns países. Não é tão espetacular quanto o segundo, mas é um veículo divertidíssimo que serve de vitrine para que Loren Avedon e Keith Vitali (os irmãos do título) demonstrem suas habilidades em artes marciais em sequências alucinantes de pancadaria! Até hoje me lembro quando eu era um moleque de oito ou nove anos pegando a fita da Top Tape na locadora com meu irmão mais novo. Passamos o fim de semana inteiro assistindo repetidas vezes este que foi o meu primeiro “kickboxer movie”.


Na trama, os dois personagens não vão muito com a cara do outro. Avedon é um professor de kickboxer que dirige um fusca, enquanto Vitali ganha a vida como policial respeitado, seguindo os passos de seu pai. Ambos lutam pra cacete! Para resumir o enredo, uma tragédia na família acontece (leia-se alguém é assassinado) e acaba sendo o motivo de reaproximação dos irmãos, que deixam as diferenças de lado e juntam forças para fazer exatamente aquilo que se …