Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

SORCERESS (1995)

Série Scream Queens/Femme Fatales #2: Julie Strain

Outro dia eu me preparei pra ver um filme que pudesse servir para homenagear a musa maior, Julie Strain, aqui nessa série. Já que SORCERESS, do Jim Wynorski, tem a moça estampada no cartaz, logo pensei “Fechado! É esse mesmo!”. Com dez minutos de projeção, deu para perceber que a Julie não seria a protagonista. Mas, isso não me abateu. Praticamente todas as cenas em que aparece sua presença encanta de maneira descomunal, especialmente pela ausência de pano sobre o corpo. E que corpo...  ai, ai...

Mas resolvi mantê-la como a homenageada da vez. Julie Strain nunca é demais! Uma das musas que mais me fascinou e que desde a época da adolescência já habitava os pensamentos dos trabalhadores braçais nas madrugadas de sábado para domingo ligados na Band nos anos 90.


Bem, como ela sai de cena muito rápido na trama de SORCERESS,é claro que outras beldades surgem para povoar a história, que é bem bobinha, centrada num grupo de bruxas que querem…

CASTELLARI WILL BE BACK!

Estou em dívida com vocês. Se clicarem neste link, vão lembrar que comecei a dissecar a filmografia do diretor italiano Enzo G. Castellari e, de repente, há mais de um ano, simplesmente larguei mão. E justamente quando entrava na fase dos anos 80, em que o rebuscamento magistral de filmes como KEOMA, JOHNNY HAMLET e O VINGADOR ANÔNIMO, dava lugar ao estilo mais vulgar e bagaceiro tão característico do cinema popular italiano do período, com O ÚLTIMO TUBARÃO (que cheguei a escrever), THE NEW BARBARIANS, LIGHTBLAST, HAMMERHEAD, mas ainda com alguns exemplares de classe, afinal, Castellari foi um dos maiores entre a italianada: OS GUERREIROS DO BRONX, FUGA DO BRONX e TUAREG.

Bem, o post foi só pra avisar que vamos retomar com a peregrinação em breve. E aqui vai um aperitivo do que vem por aí:


Mistura de THE WARRIORS, de Walter Hill, com FUGA DE NOVA YORK, do Carpenter, OS GUERREIROS DO BRONX (1982) acaba por ser também um autêntico clássico, de personalidade própria! Fiz uns comentários …

R.I.P. EDDIE ROMERO (1924 | 2013)

TRÊS FILMES DE HORROR

Reclama-se muito de como há remakes hoje. Dos últimos três filmes de horror atuais que vi, e que comentarei brevemente aqui, dois são remakes e apenas um original. Reclama-se de como há remakes, mas só por curiosidade MANIAC (2012),  de Franck Khalfoun, refilmagem do filme de William Lustig, do início dos 80, não é de se jogar fora, é um bom exercício, e EVIL DEAD (2013), que dispensa apresentação,do uruguaio Fede Alvarez, é simplesmente BRUTAL!!! Enquanto THE LORDS OF SALEM (2012), roteiro original escrito e dirigido pelo Rob Zombie, é uma bela duma porcaria... Que venham mais remakes então, oras!

Mas tenho consciência de que isso não reflete realmente o que acontece. E é óbvio que prefiro um mercado produzindo horror original a remakes, os quais considero desnecessários na grande maioria das vezes, mas não sou desses xiitas que berram aos quatro ventos o ódio pelas refilmagens. Assisto tranquilamente e torço para que sejam bons.


É o caso de MANIAC, que não chega aos pés do clássico…

MARTIAL LAW (1990)

Então para acabar com a preocupação de todos, resolvi aproveitar um intervalo nesse domingo para escrever sobre qualquer tralha. Isso mesmo, tralha... Confesso que exagerei no último post. Esbravejei ódio sobre “filmes que de tão ruim chegam a ser bom”, e acabei percebendo que, na verdade, ainda amo esse tipo de coisa. Sim, criei outro blog para um determinado tipo de cinema, mas para esclarecer de uma vez, as coisas no Dementia 13 não vão mudar... talvez o template mude de novo... vamos ver...

Por isso, escolhi um dos piores filmes que vi nos últimos tempos (e não é do tipo que chega a ser bom). MARTIAL LAW é um filmeco de ação policial que mistura artes marciais e tem como protagonistas o sósia do Mickey Rourke, Chad McQueen (filho do grande Steve), e a musa da pancadaria, Cynthia Rothrock. E mais, David Carradine fazendo o grande vilão, um chefe do sindicato do crime que gosta de cair na porrada contra seus desafetos. McQueen e Rothrock são um casal de namorados e também policiais…

Conversa com o leitor

Como podem perceber, a coisa anda um bocado devagar por aqui. Dizem que os blogues caminham rumo à extinção e que não faz mais sentido manter um hoje em dia, em tempos de facebook, twitter e seja lá qual rede social do momento. Bem, eu também não sei se faz mesmo algum sentido, mas quero deixar claro de uma vez que a atual situação do blog não tem nada a ver com esse pensamento em relação ao formato virtual.

Há duas questões. Uma delas é bem simples. A boa e velha falta de tempo. O mestrado tem me apertado, sugado minhas energias e tomando muito meu precioso tempo para blogar. Mas nada que daqui uns meses não se resolva. As coisas voltam ao normal e continuamos nos divertindo por aqui.

O problema é a outra questão. E essa é um pouco mais complexa e tem a ver com certos interesses em relação aos filmes, ao que me é interessante no cinema. Em suma, os gostos mudam e o meu mudou. Preciso confessar que já não vejo mais tanta graça naquela coisa do filme “tão ruim que chega a ser bom”. E …

BILL HURRICANE NO DIA DA FÚRIA

William Friedkin é o homenageado blog coletivo mais badass da rede!  Clique aqui para acessar.

R.I.P RAY HARRYHAUSEN